Conecte-se Conosco

Policial

Veículo de Washington Reis e comitiva é alvejado por vários tiros

Publicado

em

Na manhã desta sexta-feira (29), enquanto visitava obras de pavimentação e drenagem em andamento no bairro Parque Paulista, o Prefeito de Duque de Caxias, Washington Reis, teve o veículo alvejado por tiros.

Segundo informações da própria prefeitura, Reis estava acompanhado por sua comitiva, e apesar da violência da ação criminosa, ninguém ficou ferido.

A suspeita é que os autores desta ação sejam mesmo traficantes da região, e as autoridades policiais descartam momentaneamente que o ataque tenha tido motivação política.

Há informações de que policiais do 15ºBPM (de Duque de Caxias) estiveram nas proximidades do local do episódio, a fim de que verificassem relatos sobre disparos de arma de fogo. No entanto, não encontraram se quer suspeitos ou mesmo vítimas. Mesmo assim, policias fizeram buscas no local.

No último dia 19, em Xerém, o veículo usado pelo deputado federal Gutemberg Reis, que é irmão de Washington Reis, também foi alvo de investida de bandidos. O deputado não se encontrava no veículo, pois quem o ocupava era um de seus seguranças, que estava a caminho de buscar o parlamentar. Este caso do deputado aparentemente será tratado como tentativa de assalto, ao contrário dos casos de Danilo do Mercado, Quinzé e Sandro do Sindicato, vereadores de nosso município que foram brutalmente assassinados, somente esse ano.


 •    P A R C E I R O S    •

Policial

Em Belford Roxo, rapaz é morto após apartar briga em clube

Publicado

em

Um rapaz de 29 anos acabou sendo baleado e morto após apartar uma briga em uma festa que acontecia no Clube dos Excursionistas em Belford Roxo na madrugada deste domingo (7).

Segundo informações, Edson Romário, o rapaz assassinado, havia saído do evento com um amigo identificado como Gabriel. Ambos de moto, foram perseguidos por um veículo de cor branca da marca Hyundai, e próximos da casa de Edson, um homem desembarcou do veículo e efetuou tiros contra os dois e fugiu.

Edson, seriamente atingido, morreu na hora. Já Gabriel, mesmo baleado no tórax e no ombro, conseguiu pilotar a motocicleta até o Hospital Municipal de Belford Roxo. Um outro amigo de Gabriel teria o levado para ser socorrido no Hospital de Saracuruna em Duque de Caxias.

As investigações sobre este caso está a cargo da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF). Agentes da Civil fizeram perícia no local onde foi encontrado o corpo de Edson. A DHBF informou que estão sendo realizadas diligências para que sejam apuradas a autoria e a motivação do crime.

 

Prestigie o comércio local de nossa cidade.

87

Continue lendo

Policial

Cirurgião é preso em Duque de Caxias acusado de cárcere privado

Publicado

em

Atualizações

Bolivar Guerrero Silva, o cirurgião plástico equatoriano mantinha ostensiva divulgação em várias redes sociais oferecendo pacotes de cirurgias plásticas, dentre estes pacotes, um chama a atenção pelo nome: X-Tudão, e com pagamento parcelado também no carnê. E para isso ele possuía equipes de vendas que trabalhavam por meio do aplicativo de conversas WhatsApp.
Ouça o áudio:

 

Para atrair clientes, estas divulgações disponibilizavam tabelas de preços dos procedimentos e ainda imagens de influenciadoras e da cantora Perlla, o que de acordo o Conselho Federal de Medicina (CFM), tais práticas são ilegais.

Os fatos

O cirurgião plástico Bolívar Guerrero Silva, foi preso por policiais da Delegacia de Atendimento à Mulher de Duque de Caxias (Deam) no início da tarde desta segunda-feira (18). Segundo informações, a família de uma paciente teria o acusado de estar mantendo a tal paciente em cárcere privado há pelo menos dois meses, após procedimento estético que não teria tido bom êxito.

Também segundo informações, médicos que fazem parte da equipe do cirurgião negaram que a paciente estaria sendo mantida em cárcere privado, e informaram que Bolivar havia liberado a paciente, desde que ela assinasse um termo de responsabilidade por eventuais complicações devido a sua saída.

PRESITIGIE O COMÉRCIO LOCAL DE NOSSA CIDADE

87

Continue lendo

Policial

Anestesista é preso em flagrante por estupro de paciente que passava por cesárea

Delegada fala sobre o caso.

Publicado

em

Foto: divulgação/redes sociais

Atualizações

Nesta sexta-feira (15), o juiz Luís Gustavo Vasques, da 2ª Vara Criminal da São João de Meriti aceitou a denúncia feita pelo Ministério Público, tornando réu o médico anestesista Giovanni Quintela Bezerra, pelo crime de estupro de vulnerável. O MP sugere sigilo quanto ao processo e pede também uma indenização de não menos que 10 salários mínimos para a vítima.

Informações dão conta de que ainda nesta sexta-feira, uma mulher que teria sido submetida a procedimento em seu parto com a participação do médico anestesista no dia 16 de junho no Hospital da Mulher de São João de Meriti, procurou atendimento na Deam da cidade e também fez denúncia contra o anestesista. Ela compareceu à unidade policial de forma espontânea. Há relatos de que ela teria chorado muito ao expor o caso.

Além deste fato amplamente divulgado, a Polícia Civil está investigando mais 40 possíveis caso de estupros praticados pelo médico anestesista durante procedimentos em que ele havia participado. Em vários canais de notícias, fala-se algo em torno de 44 participações do anestesista, somente no Hospital da Mulher de Mesquita.

Em reunião plenária realizada nesta terça-feira (12), foi aprovada pelo Conselho Regional de Medicina (Cremerj) a suspensão provisória do registro profissional do médico anestesista Giovanni Quintella Bezerra. Sendo assim, o anestesista fica impedido de exercer a profissão em todo território nacional. O Cremerj informa também que está sendo instaurado um processo ético-moral que poderá acarretar em uma cassação definitiva de seu registro profissional.

Na tarde desta terça-feira (12), após passar por audiência de custódia, o médico anestesista foi transferido para o presídio Pedrolino Werling de Oliveira, o Bangu 8, no Complexo de Gericinó, na Zona Oeste do Rio. Ele vai estar em ala que é destinada à presos que possuem curso superior. Por decisão da juíza Rachel Assad, a prisão do anestesista foi convertida de temporária para preventiva.

A Delegada da Deam e responsável pelas investigações, Bárbara Lomba, fala sobre o caso.
Ouça no áudio:

A delegada ainda acredita que o anestesista tenha feito mais vítimas também em outros hospitais, e segundo ela, será feito um levantamento sobre o número de pacientes atendidas pelo anestesista desde o início de suas atividades.

Os fatos

Giovanni Quintella Bezerra, médico anestesista de 32 anos, foi preso em fragrante por estupro de uma paciente que dava a luz no momento do seu procedimento. A paciente estava dopada. O fato ocorreu na madruga da desta segunda-feira (11) no Hospital da Mulher em São João de Meriti.

Segundo informações, funcionários do hospital começaram a perceber a quantidade excessiva de sedativos que o anestesista aplicava nas pacientes, e acostumados a acompanha-lo durante os procedimentos, estariam achando estranho a maneira em que realizava seu trabalho, pois ele tinha o costume de utilizar de algo parecido com um lençol para obstruir a visão do que ele estaria fazendo, foi quando alguns destes funcionários decidiram colocar um celular de forma estratégica e gravar o que poderia estar acontecendo por de trás do tal lençol.

Para surpresa de todos, as imagens mostraram algo terrível: o anestesista aproveitava da vulnerabilidade das pacientes, que estavam altamente dopadas, e as estuprava.

Rapidamente, os funcionários que gravaram as horríveis e inacreditáveis cenas, tomaram logo a decisão de denunciar o abuso a direção do hospital, que por sua vez, acionou imediatamente a polícia, e médico anestesista acabou preso em flagrante no próprio hospital. No momento da prisão, ele demonstrou surpresa, e principalmente quando soube que tudo havia sido gravado. As chocantes e perturbadoras cenas foram vistas por milhares de pessoas no mundo todo através dos noticiários.

Há informações de que Giovanni Quintella Bezerra tenha se formado no curso de Medicina no ano de 2017, pelo Centro Universitário de Volta Redonda (UniFOA) e concluiu a especialização em anestesia no início de abril deste ano, e desde então, começou a atuar como anestesista, trabalhando em pelo menos 10 hospitais da rede pública e privados.

A princípio, o anestesista foi indiciado por estupro de vulnerável, e a pena para este tipo de crime é de 8 a 15 anos de prisão. Foi aberta uma sindicância interna, segundo a direção do hospital. A direção também informa que o Cremerj, que é o Conselho Regional de Medicina, foi notificado quanto aos fatos.

87

Continue lendo

Destaque