Conecte-se Conosco

Política

Polícia estoura fábrica de bebidas falsificadas em Itaboraí e 12 são presos em flagrante

Publicado

em

Após informações do setor de inteligência, agentes da 32ªDP da Taquara deram um flagrante em uma fábrica em Itaboraí, Região Metropolitana do Rio, em que eram fabricadas bebidas falsificadas. O fato ocorreu nesta quarta-feira (10).

Segundo as investigações, estas bebidas falsificadas eram comercializadas em bailes funks de várias comunidades que são controladas por facções criminosas e principalmente em bailes da Cidade de Deus, que fica na Zona Oeste do Rio, o que gerava grande lucro mensal, algo em torno de de R$1 milhão.

Na ação, foram presos 12 suspeitos de envolvimento no esquema de falsificação das bebidas.


6956

Política

Afinal, qual é o papel de um vereador?

Publicado

em

Em 2016, um ano eleitoral, a nossa equipe foi mais uma vez às ruas para ouvir algumas opiniões. Desta vez, a intenção foi saber se os duque-caxienses poderiam nos dizer sobre o que um vereador faz e ainda, quais as suas atribuições.

E para os devidos esclarecimentos, contamos com a presença e a cooperação do nosso amigo, dr. Washington Luiz Júnior, que é um advogado atuante no assunto, e que na oportunidade nos ensinou e muito sobre esta questão.

Sendo assim, confira o vídeo.

 

6956

Continue lendo

Política

Restaurante Popular de Duque de Caxias poderá passar a se chamar Bispo Dom Mauro Morelli

Deputado Rosenverg Reis quer homenagear o bispo emérito de nossa cidade.

Publicado

em

Deputado Rosenverg Reis, na inauguração do Colégio Militar. Foto: Duquecaxiensetv.com

Foi protocolado nesta quarta-feira (11) na Alerj, um projeto de lei do deputado estadual do Rio de Janeiro Rosenvergue Reis que tem a intenção de mudar o nome do Restaurante Popular de nosso município. Se aprovado, o restaurante passará a se chamar Restaurante do Povo de Duque de Caxias – Bispo Dom Mauro Morelli.

Com isso, o deputado pretende homenagear o primeiro bispo da Diocese de Duque de Caxias, Dom Mauro Morelli, falecido na última segunda-feira (9), aos 88 anos, enquanto tratava de uma pneumonia em um hospital de Belo Horizonte. O religioso foi um grande atuante das causas sociais e humanitárias, e nos deixa um importante legado.

 

6956
Notícias de Duque de Caxias – RJ

Continue lendo

Política

Por decisão do STF, Sérgio Cabral, ex-governador do Rio, deixa a unidade prisional

Cabral cumprirá prisão domiciliar em um imóvel em Copacabana.

Publicado

em

Sérgio Cabral em audiência da Lava-Jato. Foto: Reprodução/Youtube.

O Ex-governador do Rio de Janeiro, Sergio Cabral, que estava preso desde 2016 por suspeita de comandar naquela época uma organização que fraudava licitações e de receber propina de empreiteiras, deixou a unidade prisional em Niterói na noite desta segunda-feira (19). Cabral responde a mais de 20 processos e é condenado a quase 400 anos de prisão pela Lava-Jato.

Segundo informações, o seu alvará de soltura foi entregue na unidade prisional por um oficial de justiça por volta das 20h15. Cabral deixou a unidade por volta das 20h30 e usando uma tonozeleira eletrônica. Ele cumprirá a partir de então, prisão domiciliar.

O endereço em que o ex-governador cumprirá prisão domiciliar não foi divulgado, mas sabe-se que é um imóvel que fica em Copacabana. Informações dão conta de que ele não poderá ter contato com testemunhas ou pessoas investigadas nos processos em que está envolvido. Porém, há uma exceção, que é a também investigada Adriana Ancelmo, sua ex-esposa, que se torna um caso a parte por motivo de que ambos possuem filhos juntos.

Cabral poderá receber familiares de até 3º grau e seus advogados, usará constantemente a tornozeleira eletrônica, não poderá promover eventos, não poderá mudar de endereço sem devidas comunicações, terá de comparecer a juízo sempre que for intimado, não poderá se ausentar do endereço sem autorização. Estas são as principais regras de sua prisão domiciliar.

A decisão sobre a revogação da prisão preventiva de Sérgio Cabral partiu da 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) na noite desta última sexta-feira (16) por 3 votos a 2. Os ministros Edson Fachin e Kassio Nunes Marques foram contra a revogação. Já os ministros Ricardo Lewandowski e André Mendonça foram a favor. O desempate ficou por conta do ministro Gilmar Mendes, que fez questão de ressaltar que esta sendo levado em consideração é o tempo de duração da prisão preventiva e não o mérito dos crimes.

 

Prestigie o comércio Local de nossa cidade.

6956

Continue lendo
Propaganda

Destaque