Conecte-se Conosco

Policial

Belo faz show lotado na Maré em plena pandemia e acaba sendo preso

A defesa diz que Belo estraria “sofrendo constrangimento ilegal”

DCTV

Publicado

em

Foto: Divulgação

Atualização

De acordo com informações, após passar a noite preso, Belo foi solto nesta manhã de quinta-feira (18) graças a um habeas corpus apresentado por sua defesa e aceito pelo desembargador Milton Fernandes de Souza em plantão judiciário.

A defesa ainda alega que Belo estaria “sofrendo constrangimento ilegal” por conta da sua prisão.
De acordo com a polícia, Belo e os demais envolvidos irão responder pelos crime de invasão de prédio público, associação criminosa, Infração de medida sanitária e crime de epidemia.

Durante o cumprimento do mandato de busca e apreensão na casa do cantor na Barra da Tijuca, foram encontrados duas pistolas que estão em nome do artista, porém, a polícia considerou a posse ilegal.

Foram encontrados ainda R$ 40 mil e 3,5 mil Euros em espécie. Todo material foi apreendido juntamente com computadores e outros pertences.

Também segundo informações, o show teria custado R$65 mil e sua documentação já foi entregue à polícia pela defesa do cantor.


Os fatos

O cantor Belo acabou sendo preso nesta manhã de quarta-feira (17) por agentes da Delegacia de Combate às Drogas (DCOD) da Polícia Civil do Rio. A prisão ocorreu em um produtora em Angra dos Reis na Costa Verde.

Segundo informações, o pagodeiro está sendo investigado por conta de um show realizado no último sábado (13) no pátio do Ciep 326 Professor César Pernetta, no Parque União, no Complexo da Maré, Zona Norte do Rio.

Foto: Transmissão Rede Globo

O tal evento foi flagrado pelo helicóptero da Rede Globo durante uma transmissão ao vivo, e pelas imagens, o Ciep estava completamente lotado, ignorando totalmente a existência de uma pandemia, e a Secretaria de Estado de Educação (Seeduc) informa que não houve nenhum pedido de liberação do espaço dentro das dependências do Ciep em questão. No evento, as salas foram utilizadas como camarotes, segundo os investigadores. Foi apreendida também a aparelhagem de som da produtora.

A operação da DCOD leva um nome que faz referência a uma das músicas de sucesso do cantor Belo, a “É o que eu mereço”, e cumpriu nesta investida quatro mandatos de prisão preventiva, sendo estes contra o cantor Belo, Célio Caetano e Henrique marques, que são donos da produtora Série Gold, que teria promovido o evento, e Jorge Luiz Moura Barbosa, o Alvarenga, que é apontado com sendo o chefe do tráfico no Parque União, e ainda cumpriu outros mandatos de busca e apreensão, inclusive na produtora.


Outras prisões do cantor

Em 2020, Belo foi acusado de associação para o tráfico e foi condenado a seis anos de prisão, pois segundo a polícia, ele negociava por telefone drogas e armas com um traficante. Porém, ficou preso por quase um mês, e com recurso, obteve o direito de responder em liberdade. Em seguida, em 2004, após o Ministério Público recorrer da decisão, foi preso novamente e passou quase quatro anos na prisão.


341

Continue lendo

Policial

Supermercado em Jardim Primavera é atacado por bandidos e o alvo era o caixa eletrônico

DCTV

Publicado

em

De

Na madrugada desta segunda-feira (10), bandidos invadiram o supermercado Rio Sul que fica em Jardim Primavera – Duque de Caxias.

Segundo informações do 15ºBPM de Duque de Caxias, a intenção do bando era roubar o caixa 24 horas que fica dentro deste supermercado.

Ainda segundo estas informações, na tentativa, foram utilizados explosivos e o estabelecimento ficou bastante destruído, porém, não conseguiram roubar o dinheiro do tal caixa eletrônico, que ficou intacto.

 


A P O I O  C U L T U R A L

341

Continue lendo

Policial

Manhã violenta no Jacarezinho, e a ação aparentemente não tem hora pra acabar.

Muitos não puderam seguir para seus trabalhos e o comércio local se encontra fechado.

DCTV

Publicado

em

De

Foto: Transmissão/Rede Globo

Até o momento desta postagem, continua a operação da Polícia Civil na favela do Jacarezinho, e segundo noticiários e próprios moradores da comunidade, tal operação tem sido extremamente violenta, e já tem o saldo de cerca de 25 mortos, dentre estas mortes, um policial civil.

Trabalhadores ficaram impedidos de seguirem para seus destinos, e pessoas que estavam no interior de uma composição do metrô acabaram sendo atingidas no exato momento em que a composição trafegava por um trecho na superfície que fica ao lado do Jacarezinho. As vítimas, aparentemente foram atingidas por estilhaços dos vidros das janelas da composição.

Imagens que circulam pelas redes sociais mostram o momento em que, dentro desta composição, um pessoa é atingida na cabeça e outra no braço, e o terror tomou conta da maioria destes passageiros, pois foi nítido a quantidade de sangue pelo assoalho da composição e o desespero das vítimas. Ambas atingidas foram socorridas por funcionários da concessionária e também por outros passageiros. Vários outros vídeos (que não sabemos a veracidade) em grupos de aplicativo de conversas também mostram corpos de pessoas aparentemente mortas e ainda não identificadas pelas vielas da comunidade.

Transmissões ao vivo de emissoras, tais como na Rede Globo, mostram cenas de muitos policiais adentrando a comunidade em postura de confronto, e mostra ainda bandidos, que mesmo fortemente armados, aparentemente acuados, se movimentando pelas lajes de residências do local.

Imagens Globo/App

 

Tal ação é coordenada pela Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), visto que, segundo informações, menores de idade e adolescentes tem sido aliciados pelo tráfico de drogas do local, e ainda o setor de inteligência da polícia tem identificados cerca de 21 elementos integrantes do grupo criminoso, e este possui forte armamento bélico, como por exemplo, fuzis, granadas, pistolas e outros acessórios militares e utilizam de táticas de guerrilha, o que segundo a Polícia Civil, faz com que o Jacarezinho acabe se tornando um dos quartéis-generais do tráfico, que conta com muitos soldados, e consequentemente, um tipo de campo de guerra. Há denúncias também de roubos de carga, de veículos, de transeuntes, homicídios, e outros crimes que são motivos desta ação policial.

A operação conta ainda com o apoio do Departamento Geral de Polícia da Capital (DGPC), Departamento Geral de Polícia Especializada (DGPE) e da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core).

Segundo também moradores, no momento, o comércio local do Jacarezinho se encontra totalmente fechado e uma grande quantidade de cápsulas de vários tipos de armamentos são vistos pelo chão. Uma granada também foi achada. Muitos moradores não conseguiram sequer sair de casa, e uma noiva que iria se casar hoje, também se viu impedida de comparecer à cerimonia devido a situação.

Estamos no aguardo de atualizações.

 


A P O I O  C U L T U R A L

 

341

Continue lendo

Policial

Falso inspetor de polícia é preso e tinha distintivo de papelão

O distintivo era do tipo “faça você mesmo”, de papelão. Foram encontradas ainda réplicas de armas.

DCTV

Publicado

em

De

Fotos: Divulgação/Polícia Civil

Nesta terça-feira (20), um homem identificado como sendo Wilton Neves de Oliveira foi preso pela Polícia Civil.

Segundo informações reunidas, o tal homem se passava por inspetor da Polícia Civil do Rio de Janeiro, e os fatos não acabam aqui. Incrivelmente, Wilton que tinha documento de identificação policial falsa, posava em suas redes sociais utilizando um distintivo do tipo “faça você mesmo” de papelão.

O falso inspetor Wilton foi localizado pelos policiais após análises de dados do setor de inteligência da Polícia. Através das informações obtidas, os agentes localizaram o falsário em um hospital na Zona Norte do Rio, onde o prenderam.

Logo após a prisão, os agentes seguiram para a residência de Wilton, e lá constataram que o falso agente possuía ainda réplicas de pistolas e de fuzil. Pra surpresa de todos, os policiais também encontraram duas aves raras que eram mantidas em cativeiro e sem licença ambiental. Todo material foi apreendido, e também as aves.

2 aves raras foram encontradas na residência. Foto: Divulgação/Polícia Civil

Com as tais informações do Setor de Inteligência, os policiais também descobriram que Wilson é foragido da Justiça. Segundo informações, ele esteve preso em 2014 por ter sido pego em Campo Grande, na Zona Oeste, com 16 carteiras da Polícia Civil falsas, cartões de crédito clonados e cheques falsos. Ele foi processado também por apropriação indébita de veículo e identidade falsa. Chegou a cumprir parte da pena, mas fugiu.

Ao que parece, Wilton terá de cumprir o restante da pena, e ainda responderá pelo crime relacionado às aves encontradas em sua residência, que além de multa, tem pena prevista de seis meses a um ano de detenção.


341

Continue lendo
Propaganda

Destaque